Ir para conteúdo
Comunicações - Notas Bibliográficas
Home Datas Inscrições Programa
Comissões Eventos anteriores Logística Contactos

 

1) Aires Gomes Fernandes (Investigador Independente), “A comunidade judaica de Mértola em tempos medievos” (airesgf@gmail.com)

 

Aires Gomes Fernandes é licenciado em História pela Universidade de Coimbra (1999), mestre em História Medieval e do Renascimento pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (2004) e doutor em História Medieval, pela Universidade de Coimbra (2012). As suas investigações têm-se centrado na história religiosa e social, na história militar, na história local e na genealogia.

 

2) Bruno Miguel Duarte Faustino (CHSC, Universidade de Coimbra), “A família cristã-nova dos "De Negro" e a sua participação no comércio atlântico na primeira metade do século XVI.” (m.d.faustino@gmail.com)

 

Bruno Miguel Duarte Faustino é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e encontra-se a desenvolver o mestrado em História na mesma instituição. É também colaborador do Centro de História da Sociedade e da Cultura (CHSC) e as suas áreas de investigação estão ligadas à história comercial e mercantil e história portuária nos finais da Idade Média e alvores da Modernidade.

 

3) Maria Teresa Gomes Cordeiro (Investigadora Independente), “Práticas cripto-judaicas ou o caso dos cristãos-novos de Viseu (sécs. XVI e XVII)” (teresacordeiro1@gmail.com)

 

A autora é doutorada pela Universidade de Salamanca (2015), com a tese Inquisição e Cristãos-Novos na cidade de Viseu (Portugal): morfologia, identidades e integração sócio-cultural (séculos XVI-XVII). Desenvolve há décadas atividade pedagógica nos campos da História e História da Arte. Pelo mesmo tempo, produziu investigação científica, publicada em obras autónomas, capítulos de livro e em artigos de revistas nacionais com arbitragem científica; Comunicações em Congressos Internacionais sobre a temática (desde 2006); Co-coordenação científica de Congressos Históricos: Intervenção comunitária cultural e associativa - Colaboração científica em projetos teatrais e outras artes performativas; Bolsas de Investigação para Projetos Inovadores; Comissão de Publicação de obra científica. Os seus interesses académicos e científicos situam-se no âmbito do tópico dos Direitos Humanos, especificamente: Sociedades Inclusivas e Diversidade Étnica e Cultural; Culturas de Fronteira (Mobilidades e Transnacionalidades); História dos Judeus e Cristãos-Novos; História da Inquisição.

 

4) Alla Márkova (Investigadora Independente, Nova York), “As novelas de cavalaria: influência pirenaica nos judeus” (markova@gmail.com)

 

Chamo-me Alla Márkova. Nasci e fui criada em Leningrado, numa família judia. Aprendi espanhol na universidade, e para combinar meu interesse pelo espanhol e pela cultura judaica comecei a aprender judeu-espanhol. Inicialmente investiguei a linguagem das edições impressas e mais tarde tive acesso aos manuscritos. Nas coleções de Firkovich na Biblioteca Nacional da Rússia, encontrei cerca de vinte manuscritos escritos em espanhol medieval com letras hebraicas de tipo especial. Entre eles estava um fragmento de um romance de cavalaria até então desconhecido. Comecei a lê-lo e fiquei extremamente interessada nele.

Agora moro nos EUA e trabalho na Biblioteca Pública do Brooklyn. No meu tempo livre continuo pesquisando manuscritos sefarditas.

 

5) Rosa Bela Gomes de Azevedo, Maria Teresa da Silva Tremoceiro, Luís da Cunha Pinheiro (Arquivo Nacional Torre do Tombo), ““Gente de nação hebreia” ausente do reino segundo a inquirição do Santo Ofício de 1613” (azevedo@dglab.gov.pt; m-teresa.tremoceiro@dglab.gov.pt; luis.pinheiro@dglab.gov.pt)

 

Rosa Bela Gomes de Azevedo Dados académicos: Licenciada em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Pós-Graduada em Ciências Documentais (opção Arquivo), pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Dados profissionais: Chefe de Divisão da Divisão de Tratamento Técnico Documental e Aquisições do Arquivo Nacional Torre do Tombo, desde 15 de outubro de 2015; Técnica Superior na Direção-Geral de Arquivos afeta à Divisão de Apoio Externo e Normalização de 2011 a 2015; Diretora do Departamento Sociocultural da Câmara Municipal do Montijo, de 2007 a 2010, integrando as áreas funcionais da Cultura, Arquivo, Bibliotecas e Museus, Gabinete de Acão Social e Divisão de Desporto; Diretora do Arquivo Distrital de Setúbal, de 2003 a 2006; Técnica Superior de Arquivo na Câmara Municipal de Montijo de 1998 a 2003, responsável pela criação e coordenação do Arquivo Municipal; Técnica Superior de Arquivo no Arquivo Nacional/Torre do Tombo, de 1989 a 1998, integrada na Direção de Serviços de Arquivística e Inventário.

Teresa Tremoceiro, licenciada em Sociologia, com pós-graduação em Ciências Documentais, na variante de Arquivo, desempenha funções no Arquivo Nacional de Torre do Tombo desde 1990. A sua experiência tem sido sobretudo em Arquivo Definitivo, grande parte do tempo nos fundos documentais Tribunal do Santo Ofício, Arquivos Pessoais e Arquivos de Famílias. Também tem dado apoio na Divisão de Comunicação, Serviço de Referência, no atendimento ao público.

Luís Pinheiro, licenciado em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Técnico superior no Arquivo Nacional Torre do Tombo, afeto à Divisão de Tratamento Técnico Documental e Aquisições. Anteriormente exerci funções na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa como secretário no Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias e no Centro de Estudos Clássicos (2018-2022), e na Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (1988-2002). Colaborei em diversas publicações e projetos de investigação no âmbito da História.

 

6) Sónia Duarte (Universidade Nova de Lisboa), “”Lourenço Pereira, cristão-novo, que vive de ensinar a dançar”: imagens pintadas, e outras fontes documentais, para o estudo da música e da dança na cidade do Porto, em meados do século XVII” (soniaduarte@fcsh.unl.pt)

 

Sónia Duarte (Porto, 1982) integra o projecto internacional «Musical Iconography and Organology: research and transfer (IconOrg)» da Universidade Complutense de Madrid. Em 2017 obteve uma bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, IP, com o projecto de doutoramento «Imagens de música na pintura do largo tempo do Barroco (1600-1750)» (SFRH/118103/2016) e, no ano seguinte, a bolsa de estudos do Museo Nacional del Prado, em Madrid, no âmbito do projecto «La pintura holandesa en el contexto de las escuelas europeas del siglo XVII». Foi bolseira do Ministério da Cultura tendo trabalhado como técnica superior no Museu Nacional da Música. Em 2021, integrou o projecto «Iconografia musical y organologia: contextos, simbologia, instrumentos» da Universidad Complutense de Madrid, onde se dedicou ao estudo das imagens de Santa Cecília na pintura portuguesa (HAR-PGC2018-099669-B-100). Tem-se dedicado ao levantamento e estudo da pintura portuguesa com principal incidência na iconografia musical entre os séculos XV e XX, tendo vindo a interessar-se pelo papel da música e da dança nas comunidades minoritárias sefarditas em Portugal.

 

7) Joana Mestre Costa (CLLC, Universidade de Aveiro), “Singularidades da Archipathologia (1614): o(s) lugar(es) do divino no magnum opus do médico luso-sefardita Filipe Montalto” (joanamestrecosta@ua.pt)

 

Joana Mestre Costa é investigadora integrada do Centro de Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro. Em virtude do seu projeto de Doutoramento, centrado na produção epigramática de Marcial, começou por desenvolver a sua atividade científica no âmbito da Literatura Latina, mormente da que veio a lume no contexto do século I, que permanece como um dos seus interesses de investigação. Paralelamente, a Literatura Científica Portuguesa de Expressão Latina, progénita do labor humanista português, constitui, desde 2010, um dos domínios fundamentais da sua atuação. Integra a equipa de tradução da Archipathologia (1614) de Filipe Montalto, confirmando o propósito de colaborar na fixação da filosofia e da história científico-literárias portuguesas.

 

8) Oren Okhovat (Fulbright Postdoctoral Fellow, Departamento de Historia Moderna, Universidad de Sevilla), “Transnational Patronage Networks Among Portuguese Jews in Europe and the Caribbean” (ookho001@ufl.edu)

 

Oren Okhovat completed his PhD in History at the University of Florida in Spring 2023. His dissertation, entitled Cosmopolitan Empire: Portuguese Jewish Merchants and Iberian Imperialism in the Seventeenth Century Atlantic, examines the role of Portuguese Jewish merchants living in the Dutch Republic and the Dutch Caribbean in the economic and political structures of the Spanish and Portuguese empires in the Atlantic. He is currently a Fulbright postdoctoral fellow at the Departamento de Historia Moderna at the Universidad de Sevilla, where he is working on research for his book manuscript on the participation of Portuguese Jewish merchants in transnational merchant associations that successfully challenged Spanish monopoly systems in the Caribbean, and the impact this had on the economy and society of the Spanish Caribbean.

 

9) Hervé Baudry (CHAM, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa), “Itinerários sefarditas cruzados: homens e livros de medicina” (hbaudry@fcsh.unl.pt)

 

Investigador principal no CHAM-Centro de Humanidades (FCSH-UNL). Publicou (em acesso livre) em 2017 e 2019 a bibliografia das obras médicas impressas em Portugal (séc. XV a XVII) tendo acabado em julho de 2023 com o séc. XVIII. Tem várias publicações sobre a censura dos livros e dos textos, sendo a próxima O Livro ferido. A censura nos impressos antigos na Biblioteca Nacional.

 

10) Ana Macedo Lima (Instituto de Filosofia, Universidade do Porto), “Oróbio de Castro, leitor de Maimónides” (anabenjamim001@gmail.com)

 

Doutoranda de Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Membro integrado e Bolseira do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto no âmbito do pensamento sefardita (autores e obras) nos séculos XV-XVIII. https://ifilosofia.up.pt/members/ana-alexandra-macedo-lima

 

11) Virna Salgado Barra (Núcleo de Estudos Sefarditas da Amazónia / NESSA; Universidade de Coimbra), “Shalom Alechem! A Geografia da Amazónia Judaica: migração e hierotopia sefardita em Belém do Pará” (virnoka@hotmail.com)

 

Virna Barra é doutoranda em Geografia na Universidade de Coimbra e Professora na Faculdade Católica de Belém, na região amazónica brasileira, onde leciona a disciplina de Introdução à Geografia e à Arqueologia Bíblica. Leciona também Geografia, Área de Integração e Inglês em escolas públicas e privadas em Portugal. Trabalha também com traduções e com o ensino das línguas grega antiga e hebraica. É autora do livro em lançamento Geography and the space of the sacred: the presence of Opus Dei in contemporary Protestantism, pela editora Cambridge Scholars Publishing. É licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia, Brasil, e mestre em Geografia Humana, Planeamento e Territórios Saudáveis pela Universidade de Coimbra. Tornou-se também especialista em Ciências da Religião pela Universidade Cândido Mendes, Brasil.

 

12) Anabela Fernandes (CEIS20/III, Universidade de Coimbra), “Sobre a enunciação da subjetividade nas obras Os Judeus em Portugal e Judeus Portugueses em Amesterdam, de Joaquim Mendes dos Remédios” (anabelasf@fl.uc.pt; anabela@gmail.com)

 

Anabela Santos Fernandes é Professora Auxiliar Convidada do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Doutorou-se com uma tese sobre interações interculturais em Português Língua Não Materna (PLNM) no contexto da comunicação vídeo-web, no Doutoramento em Multimédia em Educação, em 2014, na Universidade de Aveiro. Do ponto de vista temático e metodológico, este estudo deu continuidade ao trabalho de constituição de "corpus" e de análise de produções orais de aprendentes de PLNM, iniciado na dissertação de Mestrado em Didática das Línguas, especialidade de Português Língua Não Materna, intitulada “A Competência Lexical no Ensino- Aprendizagem de Português Língua Estrangeira em contexto endolingue” (2004). A investigação desenvolvida desde 2001 tem abrangido as vertentes multifacetadas dos usos da língua enquanto recurso semiótico cultural, com destaque para as seguintes áreas: (i) a competência lexical colocacional, (ii) a pragmática intercultural (iii) a literacia digital intercultural, e (iv) "repertoires" plurilingues e a enunciação da subjetividade nas práticas discursivas e culturais. De momento, prepara um projeto sobre a expressão da nostalgia nas comunidades de diáspora ibéricas sefarditas na época moderna, visando (i) descrever "repertoires" plurilingues e pluriculturais em ego-documentos (cartas, diários, textos autobiográficos) e outros recursos semióticos (objetos, gastronomia, música) de descendentes ibéricos sefarditas em Amesterdão; (ii) descrever a auto-representação do sentimento de pertença de indivíduos e grupos (iii) rever criticamente os conceitos de "repertoires" e subjetividade nómada no contexto de diversidade linguística e cultural.

 

13) Maria do Carmo Lina Fernandes Alexandre (Divisão SocioCultural, Turismo, Câmara Municipal de Castelo de Vide), “Garcia de Orta: Da Memória aos Monumentos” (garcia2021orta@gmail.com)

 

Maria do Carmo Lina Fernandes Alexandre nasceu na Beira-Moçambique, 1967. Mestre em Política Cultural Autárquica- Faculdade de Letras- Universidade de Coimbra (2020-21). "Entre Diálogos – Evocação a Garcia de Orta - Portugal e Goa: construindo pontes para novos diálogos”. Licenciatura do Curso de Professores de 2ºCiclo, variante português/francês, da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Portalegre (1995); Curso de Estudos e Formação para Altos Dirigentes da Administração Local-Cefadal (2016) 5º curso de especialização em Assuntos Culturais (pós-graduação) no âmbito das Autarquias (Pós-Graduação) FLUC-Centro de Estudos e Formação Autárquica -1997/1999-projeto de estágio na área da comunicação social, implementa o 1.º Boletim Municipal da CMCV (1998) Curso de Turismo Cultural - Centro Nacional de Cultura –Lisboa -IEFP, INFT, ICN 1992/1994 trabalho final a Judiaria de Castelo de Vide. Experiência Profissional Técnica Superior da Câmara Municipal de Castelo de Vide- Divisão Cultural- Serviço de Turismo- (1997-2023) Diretora da Biblioteca Municipal Laranjo Coelho – Castelo de Vide (2002-2011) Serviço de Museologia- projeto de dinamização na Sinagoga de Castelo de Vide (2009-2010) – Regulamento da Casa do Investigador- DR. 2.ª série, n.º 128, 06.07. 2011 Comissão de Serviço na Entidade Regional de Turismo do Alentejo- Promoção e Marketing, organização de Feiras de Turismo Nacional e Internacionais. (1995-1998) Formadora na área das Línguas, Turismo e Gestão de Eventos. Visitas Guiadas ao Centro Histórico de Castelo de Vide, incluindo judiaria medieval. Projetos Presidente da Direção do Grupo de Amigos de Castelo de Vide-(associação sem fins lucrativo), colaboradora imprensa local- Jornal Noticias de Castelo de Vide; dinamizadora cultural. (2013-2023); Roteiro de Arquitetura de Korrodi- Percurso Pedonal na vila de Castelo de Vide. (2023); “Entre Diálogos – evocação a Garcia d’Orta nos 450 anos da sua morte” - Primeiro Orçamento Participativo da Cultura (2017). www.entredialogos.pt Contributos editoriais associativos, destaque: Portugal e os judeus / Jorge Martins. – 1.ª ed. nova ed. - Lisboa: Âncora, 2021 Colóquios dos simples, e drogas he cousas mediçinais da India. Impresso em Goa por Ioannes de Endem, 1563, 2019; “Garcia de Orta – De Castelo de Vide para o Mundo” de Luísa Ducla Soares, 2019; Judeus de Castelo de Vide e cristãos-novos: da identidade às linhagens [séculos XV a XIX] / Luís Projecto Calhau. - [S.L.]: Academia de Letras e Artes, 2018. - 2 v.: - (Estudos judaicos; 6,7). “A Vide e o seu Castelo: notas sobre a toponímia, a história e a heráldica de Castelo de Vide “, Ruy Ventura, 2016.

 

14) Carlos Madeira (Investigador Independente), Pedro Madeira (Investigador Independente), Vera Moitinho de Almeida (CODA/CITCEM, Faculdade de Letras da Universidade do Porto), “Marcas e sinais da existência de uma comunidade judaica em Segura (Idanha-a-Nova, Castelo Branco) nos séculos XV e XVI?” (carlmade@gmail.com; pedromadeira1@gmail.com; vmoitinho@letras.up.pt)

 

Carlos Madeira é licenciado em Artes Plásticas - Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, com cursos complementares de História da Arte e Património Cultural. Aposentado, foi professor do ensino secundário oficial e orientador pedagógico. Foi fundador da ADEPRA, associação para a defesa do património cultural do Concelho de Abrantes, e da Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual (APECV), filiada da International Society of Education Through Art (INSEA), e da Rede Ibero-Americana de Educação Artística (RIEA). A par da educação, lidou de perto com as artes plásticas e artesanais, com a prática do desenho e da pintura, com a criação de cenografia e figurinos (Cooperativa Bonifrates, O Teatrão e CITAC, de Coimbra, e CENDREV de Évora), com a arqueologia, através da participação no levantamento e estudo dos mosaicos da Villa Romana do Rabaçal, em Penela, e no serviço educativo do respectivo Museu, e também, por afinidade e gosto, com a História. É autor do livro (no prelo) "Segura - uma História Esquecida na Raia".

Pedro Santos Madeira cursou a licenciatura de Línguas e Literaturas Modernas, variante de Português-Inglês, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Tendo mudado de área, completou a licenciatura em Realização Cinematográfica da Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa. Realizou documentários, destacando-se “Vitória ou Morte, a queda da Índia Portuguesa”. Tem igualmente uma larga experiência profissional como Assistente de Realização em cinema (ficção e documentário) e publicidade. O gosto pelo cinema documental motivou o interesse pessoal pela pesquisa e investigação, relativas ao objecto dos trabalhos desenvolvidos neste âmbito. Nos últimos anos tem-se dedicado, paralelamente, ao estudo da história e registo do património da zona de Segura, antiga aldeia raiana, no concelho de Idanha-a-Nova.

Vera Moitinho de Almeida é coordenadora do CODA - Centre for Digital Culture and Innovation (FLUP), investigadora integrada do CITCEM (FLUP) e investigadora colaboradora do INESC Coimbra. É doutorada em Arqueologia Pré-histórica, pela Universitat Autònoma de Barcelona. Exerceu funções como investigadora na Academia das Ciências Austríaca (IKant-ÖAW), no The Cyprus Institute (STARC-CyI), na Universitat Autònoma de Barcelona (LAQU-UAB) e no extinto Instituto Português de Arqueologia (CIPA-IPA). Tem participado em diversos projectos internacionais transdisciplinares e conta com uma larga produção científica, onde se incluem publicações, comunicações orais e datasets. O seu trabalho de investigação incide principalmente em três áreas interligadas: Imagiologia digital 3D/2D, Análise de dados, Ciclo de vida de dados digitais e princípios FAIR; com um especial enfoque no desenvolvimento de metodologias e aplicações digitais para a investigação em Arqueologia, Património Cultural e Humanidades Digitais.